1º Turno

-EQUIPEJOGOSVITÓRIASEMPATESDERROTASGPGCSGPONTOS
Grêmio1107040026052118
Internacional1106030214060815
Caxias1106030212100215
Brasil1104040310080212
São Paulo1102070207070011
Novo Hamburgo110303050811-0309
São Gabriel110303051017-0709
Guarany110205040713-0609
Inter-SM110107030810-0209
Juventude110107030209-0709
Armour110204051017-0708
São Borja110106040910-0108

07/06 – Inter-SM 0x0 Juventude
14/06 – São Paulo 1×1 Inter-SM
18/06 – Inter-SM 0x1 Inter POA
21/06 – São Gabriel 1×0 Inter-SM
28/06 – Inter-SM 2×2 São Borja
05/07 – Grêmio 2×1 Inter-SM
12/07 – Inter-SM 0x0 Brasil
19/07 – Novo Hamburgo 1×1 Inter-SM
25/07 – Inter-SM 2×1 Armour
02/08 – Inter-SM 0x0 Caxias
23/08 – Guarany 1×1 Inter-SM

2º Turno

 EQUIPEJOGOSVITÓRIASEMPATESDERROTASGPGCSGPONTOS
Internacional1109020020021820
Grêmio1108030020031719
Novo Hamburgo1105040207050214
Inter-SM1105040214080614
São Borja110207020607-0112
São Paulo110403040809-0111
Caxias1104020513110210
Brasil110303050809-0109
Guarany1101050505140707
Juventude110202071117-0606
São Gabriel110205070620-1406
Armour110005060922-1305

02/09 – Juventude 2×3 Inter-SM
06/09 – Inter-SM 4×1 São Gabriel
09/09 – Caxias 0x0 Inter-SM
14/09 – Inter-SM 0x0 Grêmio
17/09 – Inter-SM 1×0 São Paulo
20/09 – Brasil 2×2 Inter-SM
24/09 – Inter-SM 1×0 Guarany
27/09 – Inter POA 1×0 Inter-SM
30/09 – São Borja 0x2 Inter-SM
03/10 – Inter-SM 1×1 Armour
07/10 – Inter-SM 0x1 Novo Hamburgo

FASE FINAL

 EQUIPEJOGOSVITÓRIASEMPATESDERROTASGPGCSGPONTOS
Internacional1408040228091921
Grêmio1407050217091820
Inter-SM1406070118090919
Novo Hamburgo140505041516-0116
São Paulo140503061521-0613
Caxias1404030715120312
São Borja140303080822-1409
Brasil140104090521-1606

11/10 – Inter-SM 2×0 Inter POA
14/10 – Grêmio 1×1 Inter-SM
18/10 – Inter-SM 0x0 Brasil
21/10 – Inter-SM 3×2 Novo Hamburgo
25/10 – Caxias 0x0 Inter-SM
01/11 – Inter-SM 3×0 São Paulo
04/11 – São Borja 0x0 Inter-SM

08/11 – Inter-SM 3X1 Grêmio
11/11 – Brasil 1×1 Inter-SM
15/11 – Novo Hamburgo 1×1 Inter-SM
18/11 – Inter-SM 2×1 Caxias
22/11 – Inter POA 1×1 Inter-SM
25/11 – São Paulo 1×0 Inter-SM
29/11 – Inter-SM 1×0 São Borja

O JOGO DECISIVO

Tudo estava preparado para o dia 29 de novembro. Passeata programada para a manhã de domingo, cinco mil litros de chope e 600 litros de caipirinha para depois da partida, mobilização das torcidas organizadas Maré Vermelha, Garra Jovem e Camisa Dez, convites para as baterias das escolas de samba da cidade comparecerem no Presidente Vargas. A chamada da capa do jornal A Razão, na edição de final de semana, 28/29 de novembro de 1981, nº 35, ano 48, número avulso Cr$ 40,00, era “A mais importante decisão da história do nosso futebol” e incluia um pôster com todo o plantel alvirrubro.

A revista Placar, na edição daquela semana, lançada antes do jogo em Rio Grande, publicou, com o título “O outro Inter na parada”:
“Que time é este que ganha ao natural do Inter e do Grêmio em sua cidade (2×0 e 3×1) e empata com eles (1×1) em Porto Alegre? E que, a duas rodadas da decisão, conserva a chance de conquistas um inédito título de campeão gaúcho? Chama-se Esporte Clube Internacional e usa camisa vermelha, mas em sua cidade – Santa Maria – a 350 km a oeste de Porto Alegre – todos acham que um outro detalhe o diferencia do Inter da capital: joga mais bonito. Na verdade, o chamado Inter SM exibe o padrão de jogo mais agradável para os olhos entre todos os disputantes do octagonal – sem porém dispensar a força e o entusiasmo. Fecha-se bem e seus contra-ataques são terríveis. Para isto conta com a experiência do zagueiro Donga, a visão de jogo do armador Valdo – era do Cruzeiro em 1976, quando da conquista da Libertadores – e a velocidade do centroavante Nei. “Seria maravilhoso disputar o título, mas nos contentamos com o terceiro lugar e a vaga para a Taça de Ouro”, diz o técnico Tadeu Menezes (…)”.

O jogo decisivo estava marcado para as 17 horas de domingo, com preços de Cr$ 500,00 a numerada, Cr$ 300,00 a arquibancada, Cr$ 150,00 a meia e Cr$ 50,00 o ingresso para menores. Os portões seriam abertos às 13 horas. A direção alvirrubra esperava uma renda superior a Cr$ 700.000,00.

Nos preparativos para a partida, o Internacional treinou em dois turnos na sexta-feira. Toninho ainda era dúvida, mas acabou liberado. No restante, Tadeu Menezes manteve os mesmos jogadores que iniciaram e perderam para o São Paulo na quarta-feira. O São Borja veio com força máxima, treinado pelo interino Valni Zamperetti. A escalação do time só foi divulgada momentos antes da partida.

O público, na realidade foi aquém do esperado, mas sem dúvida foi o mais entusiasmado, confiante e que não parou um minuto de incentivar os jogadores. Afinal, estava em jogo uma vaga para o Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão, além do título de Campeão do Interior, valorizadíssimo na época. Ninguém esperava outro resultado que não fosse a vitória. E ela foi conseguida. Não tão fácil como muitos acreditavam, mas foi conseguida.

O primeiro tempo terminou 0x0, apesar da natural pressão alvirrubra e graças às boas defesas do goleiro Mano. A explosão geral aconteceu aos 9 minutos do segundo tempo, quando Valdo marcou o gol da vitória, um belíssimo gol, do título do interior e da vaga à Taça de Ouro. O Inter-SM estava entre os grandes do futebol brasileiro. O ano de 1982 prometia.

A torcida demorou a sair do Presidente Vargas – tinha chope e caipirinha – e quando saiu comemorou, espalhada pela cidade, até a madrugada de segunda-feira, com apoio das baterias das escolas de samba e das torcidas organizadas.

Valdo foi escolhido o melhor da partida. Recebeu nota 10 na avaliação do jornal A Razão e das emissoras de rádio que transmitiram a partida. Também foram destaques na vitória, o zagueiro Roberto, o meio-campo Robson e o atacante Nei.

Texto e fotos retirado do livro E.C. Internacional Um Time Inesquecível, do autor Candido Otto da Luz.